Vivas à Ecometrópole

Convênio é um passo imenso no caminho de uma nova história ambiental para Londrina

por Fernando de Barros

Importantíssima conquista para a área ambiental de Londrina a assinatura de convênio, na última quinta-feira, entre a prefeitura e o Instituto Ecometrópole. O convênio deve impulsionar este programa, que tem, dentre suas características mais importantes, o envolvimento de todos os cidadãos no cuidado com o equilíbrio ambiental da cidade. O programa tem o apoio de inúmeras entidades da sociedade civil, agora com a chancela da municipalidade, e é coordenado pelo Instituto Ecometrópole.

Leia mais

Vidros mágicos

Produtos especiais custam mais, porém  compensam com economia significativa de energia elétrica

por Fernando de Barros

Nossa arquitetura muitas vezes segue a tendência europeia e americana de grandes prédios comerciais envidraçados. As grandes fachadas de vidro proporcionam calor interno que na Europa e nos Estados Unidos, onde faz muito frio, é bem-vindo. No Brasil, porém, o uso generalizado deste tipo de arquitetura, com grandes vidros nas fachadas, causa grave problema, com consequências ambientais. Os raios de sol atingem as construções, fazendo com que os prédios virem grandes estufas, exigindo o uso constante de ar condicionado para que haja conforto térmico nas salas comerciais. Isso ocasiona um enorme gasto com energia elétrica, um dos principais insumos nesse tipo de empreendimento.

Leia mais

Licença ambiental obrigatória

por Fernando de Barros

Muitos empresários que desconhecem os riscos de poluição de seus estabelecimentos têm dificuldade para compreender porque têm que licenciar no órgão ambiental sua atividade empresarial. Não o fazem por má fé, mas por falta de conhecimento do que seja impacto ambiental ou poluição. Acham que poluição é quando ocorre mortandade de peixes por algum vazamento ou quando a poluição é muito visível ou agressiva, como acabamos de ver no Golfo do México.

Leia mais

noticia-arqueologia-site

Master Ambiental realiza estudo arqueológico no Rio de Janeiro

No licenciamento de obras viárias da CCR Ponte, avaliação arqueológica é obrigatória por ser região histórica

Master Ambiental realiza estudo arqueológico no Rio de JaneiroNo licenciamento ambiental junto à Secretaria Municipal do Meio Ambiente do Rio de Janeiro das obras do viaduto de ligação entre a Ponte Rio Niterói e a Linha Vermelha, a Master Ambiental apresentou relatório arqueológico, por ser obra civil que gera remoção de terras, justamente na região portuária da Bahia da Guanabara, com grande importância histórica. Nesse caso, a avaliação arqueológica é obrigatória, de acordo com a portaria do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em vigor desde 2002. O viaduto, que terá extensão de 2,5 km, e será realizado pela concessionária CCR Ponte, do grupo CCR (Companhia de Concessões Rodoviárias).

A avaliação arqueológica segue as três fases do licenciamento ambiental. Na primeira, para obtenção de licença prévia, deve ser realizada uma contextualização arqueológica da área de influência do empreendimento e um relatório com diagnóstico e avaliação de impactos do empreendimento ao patrimônio arqueológico, além de proposto um Programa de Prospecção e de Resgate. No caso das obras da CCR Ponte, em fase de licença prévia, o relatório arqueológico foi submetido à avaliação do Iphan.

Leia mais

noticia-ponte-news

Eles usam raízes de árvores pra cultivar pontes naturais que duram até 500 anos

pontes naturaisÉ um belíssimo exemplo de arquitetura sustentável e de como o homem pode conviver em paz com a natureza, mesmo quando ela mostra sua força. Meghalaya, na Índia, é um lugar frequentemente assolado por chuvas torrenciais, que chegam aos 15 metros por ano. Por isso os habitantes decidiram que em vez de construir pontes naturais, iriam cultivá-las.

São pontes vivas e que se fortalecem ao longo dos anos. O processo é feito recorrendo às raízes da Ficus Elastica, uma espécie de figueira, que os habitantes fazem crescer entre as margens dos rios. Como elas estão vivas, vão ficando maiores, cada vez mais fortes e seguras, chegando a suportar mais de 50 pessoas. A região é uma das mais úmidas do mundo e é conhecida pelos seus rios e córregos de fluxo rápido, que com as fortes chuvas, são capazes de destruir uma ponte convencional.

Leia mais

noticia-estado-portugues.torange.biz

Estado de São Paulo adota padrão mais rígido de qualidade do ar

Decreto reduz os índices considerados adequados para oito tipos de poluentes atmosféricos, entre eles o monóxido de carbono, os materiais particulados e o ozônio

qualidade do arOs padrões de qualidade do ar ficaram mais rígidos em São Paulo. Um decreto publicado nesta quarta-feira, 24, pelo governo do Estado reduz os índices considerados adequados para oito tipos de poluentes atmosféricos, entre eles o monóxido de carbono, os materiais particulados e o ozônio. É a primeira mudança feita no padrão desde 1990.

Os valores adotados pela Cetesb foram estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2005. Antes, eram usados critérios do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). São Paulo foi o primeiro Estado do mundo a discutir a adoção dos novos padrões, em 2010. Para se ter uma ideia, o padrão é mais rígido do que o previsto para ser adotado pela União Europeia até 2015.

Leia mais

Árvore, maravilhosa máquina da natureza

Uma árvore de porte médio tem o mesmo poder de resfriamento de quatro máquinas de ar condicionado

Fernando de Barros

De maneira geral, todos nós, independente do grau de instrução, temos consciência da importância das árvores na nossa vida. E não falo apenas das florestas, os grandes nichos de biodiversidade, como a Amazônia. Cada árvore tem a sua importância particular, devido à função que exerce para o microclima em que está inserida.

Leia mais

noma ap1

Master Ambietal consolida atuação em Maringá com Noma Motors

A concessionária da Toyota, que possui ISO 14.001, contratou a consultoria para renovar licenciamento ambiental

noma ap1A NOMA MOTORS, concessionária da marca Toyota na região de Maringá, contratou a consultoria da Master Ambiental para obter junto ao Instituto Ambiental do Paraná (IAP) a renovação de seu licenciamento ambiental. O pedido de nova licença de operação inclui a ampliação das instalações na Avenida Colombo, na esquina com a Bento Munhoz da Rocha, no Parque Industrial II, Maringá.

Leia mais

campus-londrina

Master Ambiental recebe estagiários de engenharia ambiental da UTFPR

Quatro alunos da Universidade Federal Tecnológica do Paraná começam a realizar seu estágio obrigatório na área técnica da empresa.

campus-londrinaCom o intuito de contribuir para o desenvolvimento de novos profissionais, a Master Ambiental abriu quatro vagas para receber alunos do curso de Engenharia Ambiental da Universidade Federal Tecnológica do Paraná (UTFPR) para a realização do estágio obrigatório, previsto na grade curricular do curso.

Leia mais

estande ap2

Hoje é último dia da Feira do Senai

Master Ambiental já avalia resultados positivos da participação no evento

estande ap2

Centenas de visitantes já estiveram na 8º Feira Eletromecânica e Construção Civil, realizada no Senai, em Londrina, onde a Master Ambiental participa com stand próprio. Hoje é o último dia de exposição, aberta das 16:00 horas às 22 horas.

Leia mais