Quem são os culpados pela geração de entulhos em obras?

Quem são os culpados pela geração de entulhos em obras?Que as obras de construção civil geram muitos entulhos – ou como dizem os nordestinos, “metralha” – todo mundo já sabe. Mas afinal, por que saem, semanalmente, caçambas e mais caçambas repletas de entulho das obras? E mais, por que todo esse montante é, geralmente, enviado a aterros ou lixões, com os resíduos misturados?

Após uma reflexão, apresenta-se três grandes culpados pela geração de entulhos nas obras: engenheiros civis, arquitetos e empreendedores. Um bom projeto de arquitetura, compatibilizado com os projetos complementares, estrutural, de instalações elétricas e hidráulicas, que precedem o projeto executivo, absolve os arquitetos dessa acusação.


Contudo, o que se vê no dia a dia, são projetos de arquitetura sem a devida correspondência com os projetos complementares, o que gera um quebra-quebra na obra. Isso porque, por exemplo, há um pilar saliente no meio da parede, que requer enchimento com argamassa, ou então uma tubulação de hidráulica que precisa passar onde não cabe, exigindo desvios e novo quebra- quebra nas alvenarias.

Infelizmente, o cenário revela-se ainda mais desanimador quando os proprietários e construtores, sedentos por um projeto arquitetônico baratinho, esquecem que o mais caro é implantá-lo. O resultado desta conduta é a aquela grande quantidade de entulho, somada à perda de materiais de construção e de mão de obra para refazer as tarefas.

Passou da hora de verificar a compatibilidade entre projeto arquitetônico e projetos complementares, como requisito fundamental para a elaboração dos projetos executivos, exigência que absolve os arquitetos.

Já os empreendedores também se mostram grandes culpados pela geração de entulhos, ao iniciar a obra geralmente pelo projeto estrutural, executando os complementares durante a própria construção. Isso quando possuem todos os projetos.

Finalmente, engenheiros civis são culpados, pois sofrem com a ausência de um projeto executivo bem elaborado, exigindo um quebra-quebra generalizado, por outro aceitam trabalhar com mão de obra despreparada, com baixa produtividade e sem treinamento para a execução das tarefas. O resultado são paredes tortas, vãos de esquadrias errados, pisos com caimento para outro lado diferente do ralo e assim por diante. Para consertar as tarefas mal executadas, mais materiais e mão de obra, mais entulho.

Outro fator que sustenta esse comportamento por parte dos engenheiros, é que muitos deles só aparecem na obra de vez em quando, depositando sua tarefa na mão do encarregado da obra. Por tradição, esse último acha isto tudo muito normal, assim como a ideia de que a geração de entulho é inevitável nas obras de construção civil. A geração de entulho pode ser evitada sim e essa situação pode começar a mudar a partir do posicionamento de cada profissional, uma vez que, perdas de materiais e mão de obra, prejuízos causados pela omissão dos próprios profissionais.
Saiba mais sobre a consultoria da Master Ambiental, clique aqui. 

Comentários