O plano é que a ação ocorra a cada seis meses, aumentando o número de inscritos e consequentemente de mudas plantadas. | Foto: iStock by Getty Images

Em São Paulo campanha recompensa economia de água com plantio de árvores

O plano é que a ação ocorra a cada seis meses, aumentando o número de inscritos e consequentemente de mudas plantadas. | Foto: iStock by Getty ImagesSegundo a Organização das Nações Unidas (ONU), quase metade da população mundial pode enfrentar escassez de água em 2030, quando a demanda do recurso poderá superar a oferta em 40%. O alarde dos reservatórios de São Paulo é uma demonstração de que a situação precisa ser tratada com seriedade e urgência por entidades públicas, empresas e pela população em geral. É nesse sentido que foi criada a campanha “Disputa de Casas São Paulo – lavando hábitos por uma consciência mais limpa”. Leia mais

noticia-banco-de-arvore

Em São Paulo, árvores caídas ganham novo destino

Em São Paulo, árvores caídas ganham novo destinoNa última quarta-feira (25), a Prefeitura de São Paulo lançou o programa municipal Mobiliário Ecológico, iniciativa que visa reaproveitar os resíduos das árvores que caíram ou foram removidas para embelezar espaços públicos. O projeto evita o desperdício da madeira ao transformar as árvores em bancos de parques e praças. A primeira unidade já foi entregue e instalada no Largo da Batata, em Pinheiros.

Leia mais

noticia-manejo-adequado-de-arvores

Manejo inadequado contribui para queda de árvores

Manejo inadequado contribui para queda de árvoresNa primeira quinzena de janeiro, a cidade de São Paulo registrou, conforme balanço da prefeitura, mais de 750 quedas de árvores. Somados às tempestades de verão, o plantio inadequado e a poda irregular fragilizam as espécies, que acabam apodrecendo e caindo.

Leia mais

noticia-arvore-mais-velha-do-brasil

Conheça a árvore mais velha do Brasil

Localizado no interior de São Paulo, o jequitibá-rosa ‘Patriarca’ tem mais de 3000 anos de idade e altura correspondente a um prédio de 13 andares
Conheça a árvore mais velha do BrasilA cidade de Santa Rita do Passa Quatro, interior de São Paulo, reserva um verdadeiro tesouro: a árvore brasileira mais antiga de que se tem registro. Da semente, que germinou a um milênio do início da era cristã, brotou o jequitibá-rosa, apelidado de Patriarca diante da imponência e longevidade que exibe.

Leia mais

quantidade-de-arvores

Quantidade de árvores indica desigualdade social

Além de embelezarem o ambiente, as plantas melhoram a qualidade de vida da população ao controlar o calor das cidades
Quantidade de árvores indica desigualdade socialComo avaliar a qualidade de vida dos moradores de determinado bairro? Aspectos já conhecidos, como saneamento básico, iluminação pública, segurança e pavimentação podem, certamente, compor a lista de critérios para essa avaliação. Ainda assim, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por meio do censo de 2010, definiu outro ponto que pode pesar a desigualdade social: a arborização.

Leia mais

noticia-arvores-de-minha-rua

Você conhece as árvores da sua região?

Você conhece as árvores da sua região?Você já parou para pensar em quantas árvores existem na sua cidade? Ou há quanto tempo estão naquela calçada? Geralmente, quando perguntas como essas são feitas, a rotina agitada é o primeiro pretexto. Ainda assim, até os mais desatentos já devem ter notado como esses patrimônios naturais têm desaparecido, gradualmente, para dar espaço à urbanização desenfreada e sem planejamento.
Em São Paulo, o ambientalista e botânico Ricardo Henrique Cardim, apaixonado por árvores e atento ao problema, lançou um desafio a si mesmo: identificar as espécies mais antigas da cidade. Durante quatro anos, ele listou as vinte árvores nativas da região a partir da consulta de registros fotográficos e da própria população vizinha aos antigos exemplares.
O mapeamento resultou em um site com informações de todas as espécies encontradas, além de tópicos sobre a preservação das árvores. Além de fomentar o conhecimento sobre as árvores, promove a preservação da história cultural e ambiental da cidade. Em entrevista ao programa Cidades e Soluções, exibido em setembro, o ambientalista lembra que “meio ambiente também é cidade”.

Leia mais

noticia-vendavais-londrina-1

Vendavais: não dá para dizer que não sabia

noticia-vendavais-londrina-1Após os prejuízos ocorridos na cidade de Londrina, no norte do Paraná, com o último vendaval, fica novamente a impressão de que a culpada é a natureza. Será? Como no caso das enchentes que sempre provocam desastres nas encostas do sudeste durante o verão, os vendavais na região norte paranaense na época da primavera poderiam ser previstos – já que as mudanças do clima aumentam cada vez mais a frequência de eventos extremos. E mais, os vendavais deveriam ser objeto de uma abordagem preventiva principalmente por parte do poder público para adaptar as estruturas a fim de que não pereçam ao vento.

Isso fica evidente na pesquisa de iniciação científica “Análise de Impactos Ambientais Urbanos: Estudo de Caso dos vendavais no Município de Londrina, no período de 1967 a 2012”, do projeto de pesquisa “Avaliação dos desastres climáticos na região metropolitana de Londrina”, do Campus Londrina da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), realizada por então estudantes de engenharia ambiental Marcela Arfelli Silva e Mônica Hirata, com orientação do Professor Dr. Marcelo Eduardo Freres Stipp.

Leia mais

foto-temporal-londrina

O verdadeiro vilão dos vendavais

vendavaisO Município de Londrina, no norte do Paraná, enfrentou ventos de mais de cem quilômetros por hora no último domingo, com sérios danos devido à queda de aproximadamente duzentas árvores, além de galhos sobre carros, telhas, muros e obstruindo as ruas e calçadas.

Quando acontecem problemas como esse, as árvores urbanas logo caem na boca do povo. Mas é preciso considerar que tais problemas são ocasionados por falta de planejamento na arborização, o que significa que árvores erradas estão plantadas no lugar errado.

Vendavais e tornados se intensificam no Brasil. Uma possível causa apontada por pesquisadores tem sido a própria expansão urbana, que forma ilhas de calor nas cidades. As diferenças bruscas de temperatura no ar provocam o movimento dos ventos. Por outro lado, a evapotranspiração das folhas das árvores libera gotículas de água no ar, o que contribui para refrescar a temperatura, do mesmo jeito que aqueles ventiladores com vapor d´água refrescam restaurantes e lojas no verão.

Leia mais

Árvore, maravilhosa máquina da natureza

Uma árvore de porte médio tem o mesmo poder de resfriamento de quatro máquinas de ar condicionado

Fernando de Barros

De maneira geral, todos nós, independente do grau de instrução, temos consciência da importância das árvores na nossa vida. E não falo apenas das florestas, os grandes nichos de biodiversidade, como a Amazônia. Cada árvore tem a sua importância particular, devido à função que exerce para o microclima em que está inserida.

Leia mais

noticia-arvore

Município que tiver ao menos uma árvore por habitante poderá receber incentivo

noticia-arvoreO Senado vai deliberar sobre projeto destinado a instituir o selo Árvore do Bem, a ser conferido pelo governo federal aos municípios que tenham em área urbana, no mínimo, uma árvore por habitante. Deverão ser plantadas preferencialmente espécies nativas, em vias, praças e demais logradouros públicos, excluindo-se as localizadas em áreas privadas, nos parques e nas demais unidades de conservação situadas na área urbana.

Apresentado na Câmara dos Deputados, o projeto (PLC 52/2013) determina que os municípios contemplados com esse selo terão prioridade na obtenção de recursos da União destinados a programas especiais nas áreas de saneamento, infraestrutura, habitação, saúde, educação e transporte.

Leia mais