Manifesto de Transporte de Resíduos

Sua empresa está atenta ao Manifesto de Transporte de Resíduos?

Desde 1º de janeiro de 2021 os grandes geradores de resíduos são obrigados a apresentarem o MTR

O Manifesto de Transportes de Resíduos tornou-se obrigatório em todo território nacional para os geradores de resíduos que precisam elaborar o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos conforme disposto no art. 20 da Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

A portaria MMA nº280 de 29/06/2020 que instituiu essa obrigatoriedade, apresenta o MTR como uma ferramenta de gestão e como um documento de declaração nacional de implantação e operacionalização do plano de gerenciamento de resíduos sólidos.

O que é e como funciona o Manifesto de Transporte de Resíduos?

O Manifesto de Transporte de Resíduos é um documento numerado que acompanha o resíduo até a destinação final ambientalmente adequada. Por meio do MTR é possível rastrear os resíduos, a geração, o armazenamento temporário, bem como o transporte e a destinação final.

O documento deve ser emitido por meio do Sistema Nacional de Informações sobre Gestão de Resíduos Sólidos – SINIR. Alguns estados que já possuíam sistemas próprios fizeram a integração com o sistema nacional. Aqueles estados que não possuíam sistema ou não conseguiram realizar a integração, direcionaram os grandes geradores para o SINIR.

Para a emissão do MTR, são necessários alguns documentos como:

  • CNPJ;
  • identificação do resíduo;
  • quantidade, informando o volume total em metros cúbicos (m3);
  • peso, em kg;
  • qual o tipo de resíduos;
  • identificação do gerador – nome completo e cargo do responsável;
  • identificação do transportador – informar a data agendada para a coleta e preencher o nome do motorista, placa do veículo, etc..

Outros tipos de Manifesto de Transporte de Resíduos

Existem outros tipos de MTR, como o Manifesto de Transporte de Resíduos Complementar, o Manifesto de Transporte de Resíduos Provisório, o Manifesto de Transporte de Resíduos – Importação e o Manifesto de Transporte de Resíduos – Exportação.

O MTR Complementar deve ser utilizado para resíduos que serão enviados para armazenamento temporário. Este documento possui os números dos MTRs emitido pelo gerador, dados do veículo de transporte e motorista. Deverá acompanhar o transporte da carga do armazenamento temporário até o local de destinação final

O MTR Provisório deve ser utilizado quando o sistema estiver fora do ar, sendo preenchido manualmente.

O MTR Importação deve ser emitido em caso de resíduos importados, de acordo com Resolução CONAMA nº 452, de 02 de julho de 2012 e suas alterações, que acompanha a carga do resíduo ao sair do local de desembarque.

O MTR Exportação deve ser emitido para resíduos que serão exportados para outros países. O documento deve acompanhar a carga ao sair do local de geração até o ponto de embarque.

Como a Master Ambiental pode te ajudar?

A Master Ambiental possui uma equipe capacitada para elaboração dos Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos e oferece consultoria para atendimento ao MTR. Entre em contato com nossa equipe. Nós podemos te ajudar!

Logística Reversa será condicionante para Licenciamento Ambiental em São Paulo

Obrigatoriedade passa a valer 60 dias após a publicação da decisão

A CETESB publicou no dia 4 de abril a Decisão de Diretoria Nº 076/2018/C que determina a logística reversa como obrigatória para emissão ou renovação da licença ambiental para determinadas atividades em todo estado de São Paulo. Leia mais

Em tempos de crise, é hora de reduzir custos com Resíduos

Gerenciar resíduos é uma oportunidade de ganhos financeiros. Evite o desperdício de descartar recicláveis em aterros

noticia-residuos-economia-2Em tempo de crise, o principal objetivo é reduzir custos, mas sem prejudicar a performance da empresa. Em grandes empreendimentos comerciais e industriais, uma oportunidade de redução de custos é implantar um gerenciamento de excelência de resíduos.

Em geral, as empresas preocupam-se em destinar seus resíduos exigindo comprovantes de destinação para não terem problemas legais. Na prática, acontece uma segregação na fonte ruim, o que acarreta em uma quantidade expressiva de resíduos recicláveis que acaba seguindo para aterros, aumentando o custo de destinação quando poderia gerar receita com a comercialização dos recicláveis. Infelizmente, as empresas continuam a perder dinheiro no gerenciamento de seus resíduos. Leia mais

[E-book PGRS] Você já baixou o e-book de PGRS?

capa-news-2

A Master Ambiental disponibiliza mais um e-book gratuito para você! Agora você poderá compreender melhor o que é o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, PGRS. Leia mais

Sua empresa já renovou o PGRS?

Aprovação do plano de gerenciamento de resíduos sólidos tem validade de um ano

noticia-pgrs-de-olho-na-validade-site

O Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) deve ser renovado a cada 12 meses, de acordo com o Art. 23 da Lei Federal nº 12.305/2010 (Política Nacional de Resíduos Sólidos) e Art. 56 do Decreto Federal nº 7.404/2010.

“Art. 23.  Os responsáveis por plano de gerenciamento de resíduos sólidos manterão atualizadas e disponíveis ao órgão municipal competente, ao órgão licenciador do Sisnama e a outras autoridades, informações completas sobre a implementação e a operacionalização do plano sob sua responsabilidade.  § 1o  Para a consecução do disposto no caput, sem prejuízo de outras exigências cabíveis por parte das autoridades, será implementado sistema declaratório com periodicidade, no mínimo, anual, na forma do regulamento”. Leia mais

Moradores reclamam da instalação de ecopontos em bairros de Goiânia

Eles temem que terrenos virem lixões e citam falta de diálogo da prefeitura. Presidente da Comurg garante que serão recebidos só entulhos e galhos.

noticia-ecoponto-vila-alpesMoradores reclamam de um projeto da Prefeitura de Goiânia para instalação de 12 ecopontos para o recolhimento de alguns tipos de entulhos. Na Vila Alpes, um grupo impediu o início dos trabalhos para instalação de um ponto de coleta, pois dizem que na área deveria ser criado um centro comunitário.

As máquinas da prefeitura chegaram ao terreno na manhã de sábado (13) para preparar o terreno para a instalação do ecoponto. Porém, manifestantes queimaram pneus e bloquearam o tráfego na via pública. Com isso, o serviço não pôde ser realizado. Leia mais

noticias-artista-com-tampas

125 mil tampinhas de garrafa formam onda em exposição em Porto Alegre

125 mil tampinhas de garrafa formam onda em exposição em Porto AlegreUma ‘onda’ feita com 125 mil tampinhas de diferentes tipos de garrafa (75 mil para a base e 50 mil para a onda) estará exposta a partir de quarta-feira, 30 de setembro, na Usina do Gasômetro, Porto Alegre. É o projeto Tampart, idealizado pelo artista Ubiratan Fernandes e que contou com auxílio de crianças das escolas participantes e voluntários.

Leia mais

noticia-aumento-do-lixo-no-mundo

Pnuma revela que cidades produzem até 10 bilhões de toneladas de lixo por ano

Pnuma revela que cidades produzem até 10 bilhões de toneladas de lixo por anoAs zonas urbanas produzem, por ano, entre sete e 10 bilhões de toneladas de lixo, segundo um levantamento do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) divulgado nesta semana.

Leia mais

noticia-aterro-sanitario-foz-do-iguacu-site

Master Ambiental elabora projeto de Aterro Sanitário de Foz do Iguaçu – PR

Somente com base em um bom projeto é possível executar a disposição final ambientalmente adequada de resíduos determinada pela Política Nacional de Resíduos Sólidos

projeto de Aterro SanitárioA disposição final ambientalmente adequada é definida como a distribuição ordenada de rejeitos em aterros, observando normas operacionais específicas de modo a evitar danos ou riscos à saúde pública e à segurança e a minimizar os impactos ambientais adversos.

Leia mais

noticia-aumento-do-lixo

Produção de lixo no país cresce 29% em 11 anos, mostra pesquisa

Produção de lixo no país cresce 29% em 11 anos, mostra pesquisaA geração de lixo no Brasil aumentou 29% de 2003 a 2014, o equivalente a cinco vezes a taxa de crescimento populacional no período, que foi 6%, de acordo com levantamento divulgado na segunda-feira, 27 de julho, pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe). A quantidade de resíduos com destinação adequada, no entanto, não acompanhou o crescimento da geração de lixo. No ano passado, só 58,4% do total foram direcionados a aterros sanitários.

Leia mais