Monitoramento é ferramenta chave para gestão ambiental

Durante a construção ou ampliação de rodovias, é necessário um acompanhamento técnico constante para mitigação de impactos

Monitoramento é ferramenta chave para gestão ambientalConservação do solo e de recursos hídricos, gestão de resíduos sólidos, proteção de áreas sensíveis, proteção da fauna e flora, tratamento de efluentes. Já imaginou um encarregado da obra tomar cuidado de todos esses aspectos ambientais enquanto se ocupa de todo o trabalho típico de uma construção? Complicado. Mas, a solução para isso existe e tem nome: Monitoramento.

Além dos aspectos citados, muitos outros programas ambientais podem entrar na lista, conforme os estudos e o licenciamento ambiental determinarem. Além dos aspectos, a verificação da documentação também é incluída no escopo. O importante é que aquelas medidas exigidas no licenciamento sejam cumpridas e para isso o monitoramento verifica e comprova o desempenho ambiental durante as obras da rodovia.

Segundo o engenheiro ambiental, analista da Master Ambiental, Rafael Ciciliato, a supervisão ambiental auxilia para que os procedimentos corretos sejam adotados e que as melhorias necessárias sejam identificadas.

Conservação de Solos e de Recursos Hídricos

Pretende-se evitar impactos como a erosão do solo e o assoreamento de rios. Ciciliato enumera algumas medidas para assegurar a qualidade da água:
  • Para impedir o transporte de sedimentos (como terra e resíduos) aos cursos d’água, a recomendação é a proteção de solos expostos e taludes (plano inclinado que limita um aterro);
  • A utilização de barreiras ou filtros nas bocas de lobo é indicada para evitar que os sedimentos sejam carreados pela rede de drenagem da água de chuva até os rios, mas o ideal é que os sedimentos sejam contidos no canteiro de obras;
  • A movimentação de terra deve, de preferência, acontecer em períodos secos;
  • Incluir sistema de cisternas para armazenamento de água da chuva para promover uso racional da água.
Resíduos Sólidos

Quando o assunto é a geração de resíduos sólidos no canteiro de obras, o engenheiro lembra que todas as etapas de manejo devem ser ambientalmente adequadas, desde a segregação dos resíduos na fonte geradora, o acondicionamento, o transporte, até a destinação final. Em canteiro de obras geralmente são gerados resíduos recicláveis, como saco de cimento e ferragens, e alguns resíduos perigosos, como latas de tinta e produtos químicos. Resíduos de pavimentação e concreto comumente geram maior volume.

Efluentes Líquidos

No canteiro de obras, os funcionários produzem esgoto doméstico, que deve ser devidamente tratado antes de lançado em corpos hídricos. Efluentes oriundos da lavagem de equipamentos sujos com concreto devem receber um tratamento diferenciado devido a sua carga poluidora, a empresas licenciadas para tratamento e destinação.

Emissões Atmosféricas

Por envolver movimentação de terra, além do tráfego veículos pesados, o levantamento de poeira deve ser controlado para não prejudicar a saúde da população, principalmente quando as obras estão próximas a núcleos populacionais.

Movidos a óleo diesel e potencialmente poluidores do ar, os motores dos veículos pesados devem ser corretamente regulados segundo os padrões de emissão da legislação. Os filtros também devem ser trocados de acordo com seu período de validade ou tempo de uso.

Proteção de Áreas Sensíveis

Com especial atenção, as obras devem evitar impactos às Áreas de Preservação Permanente (APPs), como margens de rios, nascentes e topos de morro, dentre outros casos. Para a supressão de vegetação, com base em um inventário florístico que identifica e classifica as espécies de árvores nativas e exóticas a serem suprimidas, exige-se autorização prévia do órgão competente e compensação ambiental. Deve-se atentar para a proximidade com Unidades de Conservação (UCs) ou se estiver próximo de áreas que são mananciais de abastecimento público.

Educação Ambiental

De nada adianta enfatizar os aspectos ambientais anteriores ao empreendedor se os funcionários envolvidos nas obras não estiverem conscientes dos impactos ambientais e dos procedimentos adequados para executar as tarefas sem risco ao meio ambiente. A realização de treinamentos busca sensibilizar os funcionários sobre o papel de cada um. Por isso, a educação ambiental deve permear todos os programas ambientais, de maneira transversal.
Saiba mais sobre a consultoria da Master Ambiental, clique aqui.

Comentários